ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Uma sequência de geadas que atingiu o Paraná no sábado (6), no domingo (7) e na segunda-feira (8) causou prejuízos em lavouras e pastagens espalhadas por diversas regiões. A onda de frio mais intensa deste ano derrubou as temperaturas, que chegaram a até -7,1ºC, em General Carneiro, no Sul do Estado, no domingo (7). Neste dia, foram registradas temperaturas negativas em uma faixa que atingiu o Oeste, Sudoeste, Sul, Centro-sul, Campos Gerais e Região Metropolitana de Curitiba. Mesmo no Noroeste, onde o frio foi menos intenso, a maior temperatura registrada foi de 4,6ºC na região de Maringá. Os dados são do Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar).

O Boletim Diário do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná (Seab) desta segunda-feira (8) informa que no Oeste do Paraná foram registradas temperaturas na casa dos -4,2ºC. “A cultura de trigo encontra-se em 60% em fase de floração e frutificação, tudo indica que teremos um comprometimento de produtividade [na região]”, informou o órgão.

Feijão
Há lavouras de feijão da terceira safra que podem sofrer com danos, o que pode ter impacto nos preços até o fim do ano. No Paraná são apenas 2 mil hectares, nas regiões Norte Pioneiro, Norte e Noroeste. Mas a geada atingiu algumas áreas importantes de produção, nos Estados de São Paulo  e Minas Gerais, no Sudeste brasileiro, segundo Marcelo Lüders, presidente do Instituto Brasileiro de Feijão e Pulses (Ibrafe). “O feijão carioca pode subir forte, em todos os grupos recebemos imagens de lavouras perdidas com a geada”, revelou.

Previsão
Para a próxima terça-feira (9), há risco de mais geadas no Paraná, segundo o Instituto Simepar. Há condições para que o fenômeno ocorra em intensidade moderada em uma faixa que vai da região Sul e Centro-Sul, se estendendo até os Campos Gerais e parte da Região Metropolitana de Curitiba. Duas faixas têm possibilidade de ocorrência de geada fraca. Uma delas, pega o Sudoeste do Paraná, passando pelo Norte e Norte Pioneiro. 

Café e outras culturas no Norte do Paraná

Narciso Pissinatti, presidente do Sindicato Rural de Londrina, relatou que no Norte devem ser registrados problemas com o café. Em plantações pontuais, houve a formação de geada (vídeo acima). “Não foi uma coisa generalizada, mas temos relatos, sim, de algumas lavouras com prejuízo. Temos que esperar de 10 a 15 dias para ter uma noção exata”, previu. “Não temos praticamente trigo aqui na região e o milho safrinha já está na fase de colheita, então ele escapou. As pastagens foram prejudicadas nas baixadas também, mas isso é normal de todo ano”, completou.
 

Fonte: FAEP

Postado por Jefferson Silva - Data: 08/07/2019

Veja também