ÚLTIMAS NOTÍCIAS

A combinação de altas temperaturas com maior quantidade de banhistas pode ajudar a aumentar o número de casos de afogamentos em praias, rios e piscinas. No mar e rios, onde houver correnteza, a orientação é , não avançar na água além da linha da cintura; em piscinas, deve-se redobrar a atenção com as crianças e em caso de afogamento, antes de qualquer procedimento ligue 193 e acione o Corpo de Bombeiros.

O importante é fazer tudo o possível para evitar acidentes -  alguns procedimentos podem evitar uma tragédia, como:
  • O maior fator de risco para a morte por afogamento é a falta ou o descuido na supervisão de crianças por um adulto;
  • Em piscinas, rios ou praias nada substitui a supervisão de um ADULTO RESPONSÁVEL;
  •  Mantenha sempre a supervisão em crianças perto ou dentro da água;
  • Evite ingerir bebidas alcoólicas e alimentos pesados, antes de entrar na água;
  • Saia imediatamente da água  se houver relâmpagos;
  • Não permita brincadeiras violentas que tragam risco de acidente;
  • Feche qualquer porta de acesso à local com água (banheira, privada, baldes, bueiros, cisternas, e outros);
  • Não deixe seu filho sozinho no banho de banheira;
  • Leve-o consigo se tiver que atender a campainha, telefone, ou pegar um sabonete ou toalha;
  • Nade sempre perto de um posto que tenha guarda-vidas e pergunte a eles o local mais seguro para o banho;
  • Não superestime sua capacidade de nadar – 50% dos afogados em praia acham que sabem nadar;
  • Mais de 85% dos afogamentos ocorrem em um local chamado corrente de retorno. Esta corrente de retorno é o local de maior correnteza, de água mais escura e menor número e tamanho de ondas, entre dois bancos de areia ou perto de pedras, aparentando falsa calmaria que arrasta para alto mar, evite esse local ( Por CBMAL).
O tenente Matheus Venturini Pivotto, Comandante do 2° SGB/12° GB - Pitanga - PR, reforça que a orientação em especial as crianças que estejam sempre a vista dos pais, que se banhem em locais rasos. Com relação aos adultos os cuidados são com a ingestão de bebidas alcoólicas e alimentação antes de entrar na água, aguardando o tempo necessário para digestão e sempre que possível permanecer próximo a guarda vidas e com colete em caso de embarcações. “ Caso ocorra algum incidente de afogamento, é necessário muito cuidado para quem for ajudar também não se afogar, oferecer algum material flutuante para pessoa se apoiar, e no mesmo instante acionar o corpo de bombeiros através do 193”.
Tenente Venturini reforça também os cuidados com fogos de artifício, comum nessa época do ano. “A orientação é que se faça a aquisição em revendas certificadas pelo corpo de bombeiros, ler as orientações na caixa, cuidar das crianças nesse manuseio, no caso de rojões, evitar que sejam segurados diretamente nas mãos e sim em algum suporte e não tentar reacender fogos que não funcionaram”.   Em caso de acidente deve-se limpar o local do acidente com água corrente fria, em caso de hemorragia, usar um pano limpo para o local do ferimento e fazer a elevação do ferimento, finaliza Venturini.


Fonte: Jornalismo Campo Aberto Fm
Postado por Jefferson Silva - Data: 31/12/2019