ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Após vinte anos sem registro de sarampo, o Estado do Paraná confirmou o primeiro caso da doença no ano passado. E é por essa razão que é de extrema importância que os laranjeirenses sejam imunizados. Diante disso, Laranjeiras do Sul fará parte da mobilização nacional de vacinação contra o sarampo. A campanha começou nesta segunda-feira, 10, e se estenderá até o dia 13 de março, com atendimento em todas as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) do Município. De acordo com a coordenadora do setor de Epidemiologia da secretaria de Saúde, a enfermeira Patrícia Massuqueto, é imprescindível que os laranjeirenses procurem as unidades de saúde com a carteirinha de vacinação e sejam imunizados. 

O público-alvo da campanha é amplo: todos de 5 até 59 anos de idade. Para população de 5 até 19 anos e de 30 a 59 anos, a vacinação será seletiva. “A pessoa vai procurar a unidade de saúde levando seu cartão de vacinas, caso tenha atraso na vacina, vai ser feita a vacinação da dose que estiver em atraso”, explica a enfermeira. Para a população na faixa etária de 20 a 29 anos, a vacinação será indiscriminada, ou seja, todas as pessoas vão ter que comparecer para a vacina do sarampo, mesmo que já tenham sido vacinadas. Nesta faixa etária (20 a 29 anos), 10.402 pessoas deverão ser imunizadas em Laranjeiras do Sul. 

DIA D
A mobilização também contará com um Dia D, que já está marcado para sábado, 15 de fevereiro. Neste dia, todas as unidades básicas de saúde, vão atender ininterruptamente, das 8h às 17h, com a imunização de toda a população foco da campanha. A vacina em questão é a tríplice viral, que protege conta sarampo, caxumba e rubéola.

DOENÇA
O sarampo é uma doença infecciosa, transmitida por vírus e que pode ser contraída por pessoas de qualquer idade. As complicações decorrentes do sarampo são mais graves em crianças menores de cinco anos e podem causar meningite, encefalite, pneumonia, entre outras. O vírus é transmitido pela respiração, fala, tosse e espirro. As micropartículas virais ficam suspensas no ar, por isso o alto poder de contágio da doença.

SINTOMAS
Os sintomas mais comuns são febre alta, tosse, coriza, conjuntivite, exantema (manchas avermelhadas na pele que aparecem primeiro no rosto e atrás da orelha e depois se espalham pelo corpo), outros sintomas como cefaleia, indisposição e diarreia também podem ocorrer. Como não existe tratamento específico para o sarampo, é importante ficar atento com o aparecimento dos sintomas. Os doentes ficam em isolamento domiciliar ou hospitalar por um período de sete dias a partir do aparecimento das manchas vermelhas no corpo.

VACINAÇÃO
A vacina contra o sarampo é gratuita e faz parte do Calendário Nacional de Vacinação. A Secretaria da Saúde orienta para que a população fique atenta às datas da carteira de vacinação e aos registros de doses. A dose zero deve ser aplicada em crianças entre seis e onze meses. A primeira dose deve ser aos 12 meses de vida com a vacina tríplice viral (que previne sarampo, caxumba e rubéola), e a segunda dose aos 15 meses de vida com a vacina tetra viral (que previne sarampo, rubéola, caxumba e varicela/catapora).


Fonte: Assessoria de Imprensa - Laranjeiras do Sul
Postado por Jefferson Silva - Data: 10/02/2020