ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, estão prestando mais um serviço para auxiliar os produtores do Estado no desenvolvimento das culturas agrícolas e da pecuária.
O Boletim Semanal 
http://www.agricultura.pr.gov.br/Pagina/Conjuntura-Boletim-Semanal-072020) é publicado toda sexta-feira no site da Secretaria.

Entre as informações da publicação desta semana, a de que a colheita de tangerina na região do Vale do Ribeira está se encerrando. O Paraná figura no segundo lugar no ranking da produção de tangerinas do Brasil e o município de Cerro Azul, Região Metropolitana de Curitiba, é o principal ofertante da fruta, respondendo por cerca de 10% da produção nacional.

No caso da segunda safra de feijão, 93% já estão colhidos, mas não terá a rentabilidade e a qualidade pretendidas pelo produtor. Já para a mandioca, finalmente as condições climáticas permitiram progressivo avanço na colheita e no início do preparo de solo para o novo plantio. A comercialização ainda sofre em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

GRÃOS - O boletim registra, com detalhes, que a colheita da segunda safra de milho deve se intensificar nos próximos 15 dias. Mais de 80% das lavouras estão em condições medianas ou boas. No caso do trigo, 82% já foram plantados na região mais fria do Estado. A previsão é que a evolução da cultura seja boa em razão do tempo seco.

Para a soja, a previsão da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) é que a produção brasileira no ciclo 2019/20 seja de 120,4 milhões de toneladas, volume 4,7% superior às 115 milhões produzidas na safra 2018/19. O Paraná é o segundo produtor, atrás de Mato Grosso.

Na olericultura, 90% das lavouras de batata apresentam condições de medianas para boas, com 64% já colhidos. O tomate está com 59% da área colhida, com redução de 3% na produção devido às condições climáticas.

CARNE E LEITE - O boletim mostra, ainda, que, no primeiro trimestre deste ano, houve aumento de 5,4% no volume produzido de carne suína no Paraná, em relação ao mesmo período de 2019. Foram produzidas 218 mil toneladas.

Em carne de frango, o abate e produção também estão em alta. Dados do IBGE mostram que no primeiro trimestre foram abatidas 73 milhões de cabeças a mais que igual período de 2019 em todo o Brasil. Somente no Paraná o volume foi de 38,31 milhões a mais de cabeças.

A produção leiteira segue o histórico de queda de produção entre os meses de abril e junho. Mas este ano a redução foi maior devido, entre outros fatores, à queda de rentabilidade ao produtor, entressafra da produção nacional, estiagem e diminuição das importações.


Fonte: AEN
Postado por Jefferson Silva - Data: 19/06/2020

Arquivos Relacionados a Notícia