ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Os cenários criados pelas enchentes no Meio-Oeste americano continuam preocupando e entristecendo. Em uma de suas piores crises financeiras em mais de 20 anos, os produtores americanos ainda não conseguem nem mesmo contabilizar seus prejuízos diante dos elevados níveis da água alagando cidades inteiras e suas propriedades. 
Os estados mais afetados até este momento são Nebraska, Missouri, Iowa, Wisconsin e a Dakota do Sul. E uma das questões mais difíceis de serem respondidas é sobre o volume de grãos perdidos depois que a força da água destruiu centenas de silos cheios pelo Corn Belt. 
De acordo com um jornal local de Iowa, somente no condado de Waterloo-Cedar Falls, estima-se que o volume perdido de soja seja de aproximadamente 10,6 mil toneladadas (390 mil bushels) e mais de 30 mil toneladas de milho (1,2 milhão de bushels) de milho embaixo d'água. Na região dos armazéns próximos ao rio Missouri - um dos mais afetados com as cheias - há ainda mais milho estocado que foi danificado. 
E todo esse montante de grãos - e os volumes que sofreram o mesmo dano - tem que ser destruído, afirma a Iowa State University. Além das chuvas excessivas, as espessas camadas de neve que ainda podem ser vistas em alguns estados do Meio-Oeste também deverão começar a derreter, aumentando o volume de água. E esses elevados níveis da água podem comprometer ainda mais estruturas armazenadoras de grãos. 
"De acordo com a atual política da Administração de Drogas e Alimentos, os grãos que passaram pelas inundações causadas pelos cursos descontrolados dos rios ou pela água da chuva são considerados adulterados e têm de ser destruídos. A situação atual é de inundações pela água do rio, e não de água acumulada pela chuva, para a qual existem opções de salvamento. As águas das enchentes dos rios podem trazer muitos perigos e deterioração rápida", explicam os engenheiros agrícolas da Universidade de Iowa e Dan Loy, do Iowa Beef Center.
 
Fonte: Notícias Agrícolas

Fonte:
Postado por Jefferson Silva - Data: 22/03/2019