ÚLTIMAS NOTÍCIAS

A estiagem e as altas temperaturas que provocaram a quebra da safra de soja colocaram o produtor em alerta. Enquanto o plantio do milho safrinha avançava, era inevitável que muitos agricultores olhassem para o céu, se perguntando se as chuvas, enfim, cairiam no período certo, evitando um novo revés. Para alívio dos produtores do cereal (e demais culturas de inverno), desta vez, as perspectivas são boas: segundo o instituto meteorológico Climatempo, as precipitações devem ser regulares e abundantes, principalmente no período de enchimento de grãos.
“A tendência é de que tenhamos [o clima] dentro da normalidade, com chuvas bem distribuídas, o que deve fazer com que tenhamos uma safrinha cheia de milho. Não deve se repetir o estresse que o produtor enfrentou com a soja. O mercado está contando com essa boa perspectiva”, assinala João Castro, agrometeorologista do Climatempo.
A chave de tudo está no El Niño –fenômeno climatológico que se caracteriza pelo aquecimento das águas do Oceano Pacífico e que provoca chuvas volumosas no Sul do continente. No fim do ano passado, condições atmosféricas anormais para o período coibiram os efeitos do El Niño e bloquearam as frentes frias, que trariam chuvas ao Paraná, por exemplo. De acordo com o Climatempo, esses fatores de bloqueio já não existem mais, normalizando o cenário.
“A boa notícia é que essas condições deixaram de atuar. A gente espera, então, um efeito normal de El Niño, com chuvas em volumes até ligeiramente acima da média, ou seja, com boas perspectivas em relação ao volume hídrico”, aponta Castro.
O relatório mais recente do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e CLIMA Abastecimento (Seab) aponta que 91% da área prevista para o milho safrinha já foram plantadas. Por isso, os meses de março e, principalmente, abril serão determinantes para os produtores do Paraná. Segundo o agrometeorologista do Climatempo, é fundamental que chova nesses meses. E isso deve ocorrer.
“Teremos março, abril e maio chovendo bem, garantindo a safrinha. Os volumes são variáveis, mas, no Paraná, podemos esperar que as chuvas caiam em torno de uma média dos 150 milímetros por mês, o que é muito bom”, avalia. “Até junho e julho, o produtor não deve ter problemas para colher”, acrescenta. De modo geral, a lavoura de milho safrinha vem se desenvolvendo bem em todo o Estado. Segundo o Deral, 6% da área plantada estão em estado médio e 94%, em boas condições.

Fonte: FAEP
Foto: Josiel Araujo - RCA

Postado por Jefferson Silva - Data: 27/03/2019

Veja também